Fachada da Biblioteca Mário de Andrade na noite paulistana. Foto: Maurício Pisani

Um leitor da cidade

Amante da Biblioteca Mário de Andrade, o sr. Apolônio, personagem veterano de São Paulo, acredita no ditado: só é paulistano quem sobe a Consolação chorando