Kureishi defende 
o multiculturalismo, mas rejeita a influência de Salman Rushdie. Considera que seus livros são cômicos, com alguns momentos de tristeza. E se vê mais na linha de autores ingleses como Kingsley Amis, Angus Wilson e PG Wodehouse. Foto: Kier Kureishi

Um buda na berlinda

Autor dos cultuados e polêmicos “Minha Adorável Lavanderia” (roteiro) e “O Buda do Subúrbio”, um dos mais bem-sucedidos romances do chamado pós-colonialismo, Hanif Kureishi fala sobre o livro novo, “A Última Palavra”. Elogiado e discutido, o romance traz um personagem detestável e muito parecido com o Nobel de literatura VS Nailpaul

O jornalista e poeta Fabricio Marques. Foto: Divulgação

As caminhadas poéticas de Fabrício Marques

Costumo ao viajar tomar emprestado, como os cegos, a guia de amigos; em geral, são poetas e escritores que me descrevem a cidade e me revelam locais e cheiros

Como fica evidente em Diário, a obra de Dostoiévski não se esgota, no sentido de proporcionar novas visões sobre o próprio mundo contemporâneo. Retrato: Vasily Perov, de 1872

O último Dostoiévski

Diário do grande escritor tem contos e textos jornalísticos de atualidade assombrosa e chega ao Brasil pela primeira vez em versão integral, traduzida do russo

O mineiro Murilo Rubião faria cem anos neste ano. Foto: Reproduçcão/murilorubiao.com.br

O fantástico Murilo Rubião

No dia de abertura da 5ª Bienal do Livro de Minas, Humberto Werneck e Sérgio Alcides falam sobre a obra do patrono do evento, Murilo Rubião

A escritora Thalita Rebouças. Foto: Daniel Benevides

Thalitamania na Bienal do Livro de Minas

Adolescentes gritam e se desesperam por um autógrafo da autora que já vendeu mais de um milhão e meio de livros no Brasil

Carlos de Brito e Mello, autor dos elogiados "A Passagem Tensa dos Corpos" e "A Cidade, O Inquisidor e os Ordinários". Foto: Daniel Benevides

Por que ler os clássicos

Ruy Castro e Carlos de Brito e Mello conversam sobre o cânone afetivo de cada um na Bienal do Livro de Minas

Marcelino Freire (à esq.) conversa com Marçal Aquino na sala dos autores da Bienal do Livro de Minas. Foto: Daniel Benevides

Viver de literatura

Em mesa no terceiro dia da Bienal do Livro de Minas, Marcelino Freire e Marçal Aquino falam sobre a profissão do escritor

Foto

Cores e monstros

Os seres fantásticos dos mitos e lendas, o ogro de paladar refinado e a menina que usa a criatividade para vencer a tristeza

Foto: Reprodução

Mil palavras

Sebo (2007) e código Desconhecido #5 (2015)

Imagem do Museu de Sant’Ana. Foto: Reprodução/http://museudesantana.org.br

Sant’Ana, lede por nós!

O mistério em torno da imagem da mãe de Maria, inesperada leitora e mestre

Admirador de"Os Sertões", de Euclides, e correspondente de Dalton Trevisan, Marcelino prefere correr riscos  a escrever uma prosa frígida. Foto: Luiza Sigulem

Um cangaceiro na ribalta

Natural de Sertânia, em Pernambuco, Marcelino Freire está num grande momento: dois de seus livros receberam edições comemorativas e um novo já está no forno; peças de teatro são montadas com base em seus contos e suas oficinas de escrita criativa são disputadas por onde quer que passe

Fotomontagem/Reprodução

Os imperdíveis

O editor de Literatura Daniel Benevides dá oito dicas incríveis e imperdíiveis de livros para você ler e ter

O personagem Jeca Tatu, de Monteiro Lobato. Foto: Reprodução/YouTube

As meninas de Itabaiana

Um encontro nordestino, com conversas regadas a café e Monteiro Lobato, na voz de seu Jeca Tatu