Sob a pena do lobo

A literatura de Hermann Hesse, morto há 50 anos, é antes de tudo expressão do anseio por liberdade e da busca por autoconhecimento. Mesmo que não tivesse tal pretensão, ele fez a cabeça de gerações, instigando-as a percorrer os próprios caminhos sem medo de ser outsider

O poeta e Bernardo

Em momento raro, Manoel de Barros abre a porta de sua casa em Campo Grande para receber a reportagem da Brasileiros. Com suavidade, ele fala um pouco de tudo, do reconhecimento tardio – ele é, provavelmente, o poeta que mais vende livros –, do vigor de sua imaginação criadora, da família e de Bernardo, o poético e o homem que marcou sua infância

Reacionário, mas autocrítico

atos: o do teatro, cada vez mais reconhecido, o ficcionista dos contos e romances e o cronista. Luís Augusto Fischer*, escritor, ensaísta e professor, explica

Fé na ficção

Milton Hatoum escreve agora seu quinto romance. Com obras traduzidas em 12 idiomas, três delas serão adaptadas para o cinema e uma será vertida em minissérie para a TV. Em entrevista à Brasileiros, com a presença do amigo italiano Vincenzo Arsillo, professor de Literatura Brasileira em Veneza, Hatoum analisou passado, presente, fez projeções e defendeu: “Minha religião é a literatura!”

Grandes escritores reunidos em Brasília

A 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura aposta na literatura contemporânea nacional, da América Latina e da África. Evento terá também participação de Caetano Veloso, que fará show ao ar livre

Eduardo Galeano - Foto: Eugênio Mazzinghi

De olhos bem atentos

Autor do célebre “As Veias Abertas da América Latina”, o uruguaio Eduardo Galeano fala da sua relação com personagens brasileiros e reflete sobre os Direitos Humanos: “Na maior parte do planeta, as mulheres são tratadas pior que nas letras de tango”