Os altos juros retroalimentam a crise - Foto: EBC

O filho pródigo e a dívida das famílias

Como conciliar o pagamento das contas mensais, da alimentação e das necessidades básicas com dívidas que, no cheque especial, são taxadas em 311,3% ao ano e, no cartão de crédito, 471,3%?