O mercado festeja mas, apesar dos impropérios do gestor de São Paulo, o próprio Moro teve cuidados. O lider nas pesquisas para presidente vai apelar em liberdade

O lider nas pesquisas para presidente vai apelar em liberdade. Foto: EBC

O lider nas pesquisas para presidente vai apelar em liberdade. Foto: EBC

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado pelo juiz Sergio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão no processo que envolve o caso da compra e reforma de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença foi publicada nessa quarta-feira (12) e Lula poderá recorrer em liberdade.

Durante o decorrer do processo, os advogados de Lula negaram que ele fosse dono do triplex. Segundo Cristiano Zanin, um dos advogados do presidente, “a defesa conseguiu reunir mais provas que provam a inocência do presidente Lula. Estamos apresentando a prova contundente e cabal da inocência do presidente Lula e da improcedência da acusação”.

Pelo entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-presidente só começa a cumprir pena se a segunda instância confirmar a decisão de Moro.

Repercussão política

Após a divulgação da denúncia, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse na tribuna do Senado que Lula foi condenado sem provas. “ É uma decisão eminentemente política, sem provas, baseada única e exclusivamente no Juiz Sergio Moro prestar contas para a opinião pública. Fato, aliás, que ele vem mantendo desde o início deste julgamento. Ele disse que só poderia condenar se tivesse apoio da opinião pública”.

Políticos do PT e da base aliada como Lindbergh Farias, Jandira Feghali, Humberto Costa, Wadih Damous, também prestaram apoio ao ex-presidente. A ex-presidente, Dilma Rousseff, divulgou uma nota oficial afirmando que a condenação de Lula é um escárnio: “As garras dos golpistas tentam rasgar a história de um herói do povo brasileiro. Não conseguiram”

O prefeito de São Paulo, João Dória, comemorou a prisão do ex-presidente “…Aos petistas, lulistas, dilmistas, esquerdistas que pensam que podem roubar, mentir, usurpar, enganar o povo brasileiro em qualquer tempo, por qualquer razão fazendo o que fizeram ao Brasil, olha aí o que deu…”

Ronaldo Caiado, Jair Bolsonaro, Ana Amélia lemos e outros políticos da oposição também comemoram a prisão de Lula

O prefeito de São Paulo comemorou a condenação de Lula

O prefeito de São Paulo comemorou a condenação de Lula

Imprensa internacional

Nos Estados Unidos, o “New York Times” afirma que a prisão de Lula se trata de “um revés impressionante para um político que exerceu enorme influência na América Latina por décadas. O “The Washington Post” também noticiou a condenação, salientando que Lula “lidera as pesquisas de voto para a próxima eleição presidencial”. Para o “Financial Times”: Luiz Inácio Lula da Silva poderia ter sido o presidente mais popular na história do Brasil.

Na Europa, a rede britânica BBC repercutiu a condenação e salienta que o ex-presidente rejeita as acusações e diz que o julgamento tem motivação política. O francês “Le Figaro” também repercute a condenação e se refere a Lula como “um ícone da esquerda” no Brasil.

O jornal argentino “El Clarín”, lembra que esta é a primeira condenação a um político do PT no âmbito da Operação Lava-Jato e que a sentença deve ser confirmada em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal. O “La Nación”, também da Argentina, ressalta que, apesar da condenação de Lula não ser exatamente uma surpresa, ela vem em um momento de extrema tensão política no Brasil, incluindo a denúncia do atual presidente, Michel Temer.

O jornal “Página12” ressaltou que a condenação de Lula faz parte de uma contrarreforma no Brasil para o tempo da escravatura: O Juiz Sergio Moro não só condenou Lula. Ele deixou o político mais popular da história brasileira sobre a desqualificação política apenas a 15 meses antes da eleição presidencial.

Mercado Financeiro

A condenação do lider nas pesquisas para as eleições presidenciais de 2018 deixou o mercado aliviado. A bolsa, na quarta –feira 12, subiu.

Para o Financial Times “ os mercados fecharam aliviados nesta quarta-feira (12) que Lula – como ele é carinhosamente chamado – viu como bem menos provável a sua candidatura para as eleições presidenciais do próximo ano depois de condenado e sentenciado a nove anos e meio de prisão por acusações de corrupção”.

A Ibovespa subiu 1,57% aos 64.835, enquanto o dólar recuou 1,41% e fechou o dia cotado a R$ 3,23%. É a menor cotação de fechamento desde 17 de maio, quando, após o fechamento do mercado, foram divulgadas as denúncias dos executivos da JBS contra Michel Temer.

Apesar do alivio do mercado, da subida da bolsa e dos impropérios do gestor de São Paulo ainda é cedo para estas comemorações. O próprio  juiz Moro, que apesar de tratar o réu como ex-Presidente Luiz ,considerou  em sua sentença “que a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação. Assim poderá o ex-Presidente Luiz apresentar a sua apelação em liberdade.”

 A apelação será feita ao Tribunal Regional Federal da 4a Região(TRF4) o mesmo que absolveu o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vacari, por sua condenação ter sido baseada em delação.

Manifestações

O PT e movimentos de esquerda estão convocando a militância para protestos contra a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo, Porto Alegre e Brasília, entre 17h e 18h desta quarta-feira (12).

Link curto: http://brasileiros.com.br/u8oW9
Tags: , ,