Três mostras de fotografia, entre elas uma individual de Eduardo Colesi na galeria Andrea Rehder, também estão cartaz em São Paulo


À noite, o mundo se divide em dois
, mostra de Jaime Lauriano e Raphael Escobar no Atêlie 397, em São Paulo, de 8/7 a 7/8

Os artistas Jaime Lauriano e Raphael Escobar ocupam até o dia 7 de agosto o espaço independente Ateliê 397, em São Paulo, com obras criadas para pensar a limpeza social no Brasil. A mostra, que transita entre momentos históricos e questões sociais recentes, tem como objetivo questionar a política higienista implantada pelos governos atuais. A exposição faz parte do projeto “Identidade Nacional, Cultura e Dominação”, que integra a programação deste ano do Ateliê 397.

Foto impressa em papel sagrado feito pelos próprios monges. Foto: Eduardo Colesi

Foto impressa em papel sagrado feito pelos próprios monges. Foto: Eduardo Colesi

De Ásia a Z, individual de Eduardo Colesi na galeria Andrea Rehder Arte Contemporânea, em São Paulo, até 10/8

As fotografias de Eduardo Colesi são resultado de suas viagens por diferentes lugares da Ásia – de grandes cidades a vilarejos longínquos, onde vivem tribos isoladas. Composta por 45 imagens, a mostra reúne registros de 15 diferentes países, entre Butão, Camboja, China, Índia, Indonésia, Japão, Laos, Mongólia, Nepal e Vietnã. Para a exposição as fotos foram impressas em papel Hahnemühle.

Nova York, EUA, 2000 ? Elliott Erwitt. Foto: Magnum Photos

Nova York, EUA, 2000, Elliott Erwitt. Foto: Magnum Photos

Vida de Cão, fotos de Elliott Erwitt, na Galeria de fotos do Centro Cultural Fiesp, até 24/9

Nessa exposição em cartaz no Centro Cultural Fiesp, o fotógrafo franco-americano Elliott Erwitt propõe uma visão bem-humorada da relação entre o homem e os cães. Com curadoria de João Kulcsár, a mostra reúne 50 fotografias do livro DogDogs, de 1989, feitas entre 1946 e 2004 em diferentes países como Brasil, Inglaterra, França e Irlanda.

Fotografia de Lorena Marchetti, parte da exposição Desarticulaciones

Fotografia de Lorena Marchetti, parte da exposição Desarticulaciones

Desarticulaciones, coletiva na Blau Projects, em São Paulo, até 12/8

Com curadoria da argentina María Alejandra Gatti, a mostra Desarticulaciones é resultado do edital C.Lab Mercosul, realizado pela Blau Projects e voltado para jovens curadores. As obras selecionadas trabalham com superposições sonoras, mistura entre a fotografia e a pintura e entre obras literárias e artes visuais. Além dos artistas Alan Segal, Lorena Marchetti, Lihuel González, Lorena Fernández e Verónica Gómez também participam da exposição os escritores Nicholas Petrus, Thais Gouveia, Fabiana Faleiros e Marcelo Carnevale.

Sem título (grade com grande acabamento), 2017. Acrílica sobre tela, 31 ½ x 27 3/5 em 80 x 70 cm

Sem título (grade com grande acabamento), 2017. Acrílica sobre tela, 31 ½ x 27 3/5 em 80 x 70 cm

Pinturas e Relevos Recentes, individual de Valdirlei Dias Nunes na galeria Triângulo, até 5/8

A mostra reúne série de trabalho do artista e pintor paranaense Valdirlei Dias Nunes, entre elas uma sequencia de pequenas e médias pinturas com fundo branco ou preto, e preenchidas por grades feitas com linhas amarelas e douradas. Outra série de destaque mostra relevos feitos em pinturas-objetos com MDF laqueado.

Cumprimento, de Effo Backria, de 2017. Foto: Reprodução

Cumprimento, de Effo Backria, de 2017. Foto: Reprodução

Religiosidade em Israel através de lentes drusas, mostra no Museu de Arte Sacra de São Paulo, até 27/8

Composta por 40 fotografias, a mostra reúne trabalhos realizados pelo coletivo Clube de Ftoógrafos Drusos, formado por Ameer Zeyan, Effo Bacria, Eyal Amer, Fares Saaida, Jamal Ali, Rabia Basha e Zohar Ferro. A exposição é resultado de uma parceria entre o Consulado Geral de Israel e apresenta ao público aspectos da religião drusa, uma pequena comunidade religiosa autônoma que reside sobretudo no Líbano, Israel, Síria, Turquia e Jordânia.

 

Link curto: http://brasileiros.com.br/dZiul