Segundo o comunicado, “a exposição de sua foto, na capa, cumpre a função de punir exemplarmente, a exemplo dos rituais da Sagrada Inquisição, uma mulher simples, do povo, que cometeu a ousadia de ocupar o Palácio do Planalto. A Casa Grande não perdoa”

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Departamento de Jornalismo da PUC-SP divulgou um manifesto repudiando “nos termos mais veementes e inequívocos” a capa da ultima edição da revista Veja (2530), que traz a reprodução de uma foto em preto e branco de Dona Marisa Letícia, ex-primeira-dama, morta no último dia 3 de fevereiro, com a manchete “A morte dupla” e uma legenda explicativa: “Em seu depoimento ao juiz Moro, Lula atribui as decisões sobre o tríplex no Guarujá à ex-primeira-dama, falecida há 3 meses”. 

A nota ressalta que a revista já fez seu próprio julgamento e lavrou a sentença condenatória do ex-presidente quando diz que  “Lula adquiriu o tríplex como propina, e para se livrar da cadeia manchou a reputação de dona Marisa. Não contente com se antecipar à Justiça, assumindo o lugar do júri e do carrasco, a revista ainda se arroga o direito de interpretar as motivações mais íntimas de Lula, e expor a sua figura à execração pública da forma mais vil, covarde, inaceitável e desumana”.

Ainda segundo o comunicado, “a exposição de sua foto, na capa, cumpre a função de punir exemplarmente, a exemplo dos rituais da Sagrada Inquisição, uma mulher simples, do povo, que cometeu a ousadia de ocupar o Palácio do Planalto. A Casa Grande não perdoa”.

O Departamento de Jornalismo da universidade lembrou da capa da revista Veja de 26 de abril de 1989, dedicada ao cantor Cazuza – Uma vítima da Aids agoniza em praça pública  – e ressaltou que a “revista prova, mais uma vez, que não há limites para a patifaria, para a infâmia e a ignomínia”.

Leia nota na íntegra 

“O Departamento de Jornalismo da PUC-SP repudia, nos termos mais veementes e inequívocos, a capa da edição 2.530 (17.mai.2017) da revista semanal Veja.

A capa traz a reprodução de uma foto em preto e branco de dona Marisa Letícia, ex-primeira-dama e esposa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, morta em 3 de fevereiro de 2017, com a manchete “A morte dupla” e uma legenda “explicativa”: “Em seu depoimento ao juiz Moro, Lula atribui as decisões sobre o tríplex no Guarujá à ex-primeira-dama, falecida há três meses”.

O que há de errado em atribuir à própria esposa e companheira uma decisão qualquer que afete a vida da família? Nada, absolutamente nada – a menos, é claro, que a revista parta da premissa de que as supostas “decisões” atribuídas a dona Marisa tenham envolvido ações ilegais, e que Lula tenha se aproveitado do fato de que sua mulher está morta para jogar-lhe o peso da responsabilidade por tais supostas ações.

A revista, portanto, já fez o seu julgamento. Já lavrou a sentença condenatória: Lula adquiriu o tríplex como propina, e para se livrar da cadeia manchou a reputação de dona Marisa. Não contente com se antecipar à Justiça, assumindo o lugar do júri e do carrasco, a revista ainda se arroga o direito de interpretar as motivações mais íntimas de Lula, e expor a sua figura à execração pública da forma mais vil, covarde, inaceitável e desumana.

É a revista Veja, não Lula, que pisoteia sobre o cadáver daquela que, durante oito anos, foi a primeira-dama de nosso país. Ao atacar a memória de dona Marisa, a revista fere o sentimento de dignidade do povo brasileiro. A exposição de sua foto, na capa, cumpre a função de punir exemplarmente, a exemplo dos rituais da Sagrada Inquisição, uma mulher simples, do povo, que cometeu a ousadia de ocupar o Palácio do Planalto. A Casa Grande não perdoa.

Quando todos achavam que nenhuma vileza superaria a capa da própria revista Veja de 26 de abril de 1989, dedicada ao cantor Cazuza – “uma vítima da Aids agoniza em praça pública” -, a revista prova, mais uma vez, que não há limites para a patifaria, para a infâmia e a ignomínia.”

São Paulo, 12 de maio de 2017

Link curto: http://brasileiros.com.br/AEzG2
  • Euassim Poraqui

    PUC, estudantes e professores de Filosofia da USP, e outros tantos que se dizem socialistas, mas desde que não precisem trabahar ou produzir nada.. acrescentam tanto ao país quanto as moscas que ficam sobrevoando os dejetos humanos…. e só servem para causar mau cheiro.

  • Arlen

    Parabéns PUC – SP !!!!!

  • Sebastião Neto

    O Depto. de Jornalismo da PUC-SP, não deveria interferir em uma publicação semanal da Veja, quando Lula diz, claramente, que a possível aquisição do Triplex , seria um gosto pessoal de sua esposa, todos nos sabemos que o cidadão, acima de tudo, sempre foi um grande mentiroso, e que com os depoimentos dos donos das construtoras empreiteiras, temos absoluta certeza de que o aparatamento do Guarujá assim como o sitio em Atibaia são de sua propriedade, fazendo parte da propina paga em função da corrupção aplicada na Petrobrás …..

  • ELYS

    PUC…..zzzzzzzz.. dá até sono!

  • Felipão

    é impressão minha, ou o PTerra, achou mais uma fonte esquerdopata de notícias para o portal… será que essa “brasileiros” aqui não tá na lista paga dos petralhas não?