Em vídeo feito durante reunião com integrantes dos movimentos sociais antes de entregar pedido de demissão, Patrícia Bezerra criticou a política da gestão Doria para a Cracolândia. Ministro da Saúde aprova a intervenção

A ação violenta deflagrada pelo prefeito João Doria na quarta-feira (24) na região conhecida como Cracolândia, no bairro da Luz, em São Paulo, teria ocorrido à revelia da secretária de Direitos Humanos do município, Patricia Bezerra, que pediu demissão. A decisão foi tomada após a circulação de um vídeo em redes de WhatsApp feito em reunião com integrantes de movimentos sociais no centro da cidade. No cargo desde o início da gestão, ela comunicou o prefeito João Doria que sua decisão era em caráter pessoal e irrevogável.  

No vídeo, a ex-secretária disse afirmou aos participantes do encontro que discordava da ação na Cracolândia, que considerou “desastrosa”. “Estou tão incomodada quanto vocês. Também acho injusto”, afirmou.

Na carta entregue ao prefeito, a ex-secretária justificou que vinha enfrentando dificuldades há algum tempo para dar continuidade às ações de direitos humanos e ao atendimento à população mais vulnerável da cidade. “Deixo o cargo, mas nunca a convicção em uma cidade que garanta o respeito à pessoa humana. 

O ministro da Saúde, o engenheiro Ricardo Barros, em mais uma declaração infeliz, disse ao jornal O Estado de S.Paulo, da Suiça, que deseja que a ação seja bem-sucedida e que “consiga recuperar aquela área  não ter críticas à operação da Prefeitura de São Paulo na Cracolândia e disse desejar que a ação seja bem-sucedida na “recuperação” da área. “Acho que foi uma medida necessária e esperamos que ela produza resultados”, informa o jornal.

Link curto: http://brasileiros.com.br/nYdSi