Suspeitos de fraudes no fornecimento de próteses serão indiciados por corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa

A apuração das fraudes em licitações para fornecimento de próteses à rede pública do Rio de Janeiro levaram à prisão preventiva, nesta terça-feira 11, do ex-secretário estadual de Saúde do Rio, Sérgio Cortês. Dois empresários que forneciam próteses também foram presos. Os mandados foram concedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro e fazem parte da operação Fratura Exposta da polícia federal. 

Os presos são acusados de fraudes em licitações para fornecimento de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e para a Secretaria Estadual de Saúde e serão indiciados por corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A Receita Federal estima que os desvios por meio de fraudes em licitações na saúde alcancem cerca de R$ 300 milhões de reais. 

Segundo a Polícia Federal, as licitações feitas pela secretaria estadual eram direcionadas para beneficiar empresários investigados em troca do pagamento de propina no valor de 10% dos contratos.

Cortês foi preso por suspeita de fraude em licitações. Fotos: EBC/Agência Saúde

O ex-secretário Sérgio Cortês (à esq.) é suspeito de fraude em licitações de materiais para o instituto de ortopedia. Fotos: EBC/Agência Saúde


De 2002 a 2006, Cortês dirigiu o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Nesse período, em 2005, teve também uma breve atuação como interventor federal na crise da saúde da cidade do Rio. Tornou-se secretário estadual de Saúde em 2007, permanecendo no cargo até 2013. 

Também seriam cumpridos, ao longo do dia, outros 20 mandados de busca e apreensão e três de condução coercitiva.

* Com informações da Agência Brasil e Polícia Federal

 

Link curto: http://brasileiros.com.br/hJxtO
Tags: , , , ,