Autor de sucessos como “Bolinha de Sabão”, “Vô Batê Pa Tu”, “Tamanco no Samba”, “Onde Andar o Meu Amor” e “Palladium”, o cantor e compositor catarinense foi também grande inspiração para Jorge Ben Jor

O cantor e compositor Orlandivo em foto reproduzida na capa de seu segundo álbum de 1963. Foto: Reprodução / Musidisc

O cantor e compositor Orlandivo em foto reproduzida na capa de seu segundo álbum, de 1963. Foto: Reprodução / Musidisc

Morreu na madrugada desta quarta-feira (8) aos 79 anos, no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Orlandivo. A informação foi antecipada por familiares, que ainda não comunicaram maiores detalhes, como a causa da morte ou os locais onde serão realizados o velório e o sepultamento do artista.  

Autor de mais de 200 canções, Orlandivo teve como entusiastas de seu trabalho intérpretes do calibre de Jorge Ben Jor, Dóris Monteiro, Wilson Simonal, Claudette Soares, João Donato, Elza Soares e Ângela Maria. Entre essas duas centenas de músicas, cheias de suingue e irreverência, estão clássicos, como Tamanco No Samba, Bolinha de Sabão, Samba Toff, Onde Anda o Meu Amor, Vô Batê Pá Tu e Palladium. A despeito de todos esses predicados e de ser considerado na boêmia carioca como o Rei do Sambalanço – sub-gênero musical de grande sucesso em bailes dos anos 1960, que fundia bossa nova, jazz e ritmos latinos – Orlandivo segue praticamente anônimo para o grande público do País.

Catarinense de Itajaí, depois de um breve período em São Paulo, ele foi morar com a família no Rio de Janeiro, aos 9 anos de idade. Aos 6, travou contato com o primeiro instrumento musical, uma gaita dada pelo pai, que rodava o País e a Europa em navios da Marinha Mercante – segundo ele, deve ter vindo daí seu nome incomum, provavelmente, uma corruptela de Orlandini, visto que o pai fazia viagens frequentes à Itália.

Grande inspiração vocal de Jorge Ben Jor no início de carreira, Orlandivo consagrou-se no biênio 1961/1962, período em que reinou absoluto como crooner do conjunto do organista Ed Lincoln. Em 1962, lançou pelo selo Musidisc seu primeiro LP, A Chave do Sucesso, título que fazia alusão a uma caraterística do compositor, a utilização de um molho de chaves como instrumento percussivo.   

Em outubro de 2013, o cultuado álbum homônimo lançado por Orlandivo em 1977, com arranjos e colaborações de João Donato, foi um dos 50 destaques da coluna Quintessência. Leia a reportagem na íntegra.

Link curto: http://brasileiros.com.br/WArRh
Tags: