Relatório definiu quais são os critérios que definem a qualidade de sono. Documento ajuda a interpretar dados de apps como o “Sleep Cycle”

Um painel de especialistas da Fundação Nacional do Sono (NSF), nos Estados Unidos, lançou agora em janeiro um documento com diretrizes para os indicadores-chave de uma boa qualidade do sono. O relatório é especialmente relevante para quem utiliza aplicativos que monitoram o repouso noturno e pode ser útil para a interpretação de resultados. 

Para estabelecer os indicadores, a NSF fez uma revisão sistemática de mais de 277 estudos sobre o tema. Especialistas receberam os artigos e, por meio de três rodadas de votações, os critérios foram listados. 

Critérios mais exatos do que é uma boa noite de sono podem ajudar  a identificar se, de fato, estamos dormindo bem. Foto: CC0 Public Domain

Critérios mais exatos do que é uma boa noite de sono podem ajudar a identificar se, de fato, estamos dormindo bem. Foto: CC0 Public Domain


O documento também é uma mudança de paradigma na maneira com que a medicina lida com o sono. Agora, no lugar de somente identificar casos extremos de privação e patologias, pesquisadores querem definir o que é a saúde do sono para ajudar todas as pessoas a melhorar seus indicadores. 

“No passado, definimos o sono por seus resultados negativos, o que foi útil para a  identificação de patologias. Mas isso não é toda a história”,  observou Maurice Ohayon, diretor do Stanford Sleep Epidemiology Research Center, nos Estados Unidos, em nota.  

Para a maioria das variáveis de sono contínuo (durante toda a noite), os membros do painel concordaram que variáveis como latência do sono e número de vezes desperto eram indicadores apropriados de boa qualidade do sono ao longo da vida. No entanto, houve pouco ou nenhum consenso sobre variáveis relacionadas a pequenas pausas para o sono, como o cochilo. 

Os indicadores de sono contínuo incluem: 

- Dormir mais tempo enquanto estiver na cama (pelo menos 85% do tempo total);

- Adormecer em 30 minutos ou menos;

- Acordar não mais do que uma vez por noite;

- Se despertar durante a noite, não permanecer mais de 20 minutos acordado.

Esses critérios ajudam, por exemplo, a se ter uma melhor leitura de aplicativos como o Sleep Better e o Sleep Cycle. Embora os pesquisadores não tenham analisado a eficácia dos apps especificamente, essas ferramentas medem, por exemplo, quanto tempo de cama foi destinado ao sono efetivamente, dentre outros dados. 

“Milhões de americanos são usuários dessas tecnologias [apps que monitoram o sono]. Isso permite com que hoje se possa medir todo um conjunto de dados sobre o sono, antes inacessíveis”, pontuou Max Hirshkowitz, presidente do Conselho de Administração da NSF, em nota.  

Segundo dados da NSF, 27% das pessoas demoram mais de 30 minutos, em média, para conseguir dormir adormecer. O relatório também destaca as áreas em que mais estudos são necessários. Uma delas é a avaliação de indicadores de boa qualidade do sono entre diversos grupos etários.

Link curto: http://brasileiros.com.br/G7vs8
Tags: , , , ,