Estudo publicado no JAMA Internal Medicine demonstra que mesmo pequenas quantidades de atividade física semanais são mais benéficas que ficar parado

Melhor tentar fazer alguma atividade física, que ficar parado. Estudo publicado no JAMA Internal Medicine sugere que tirar o atraso da semana no sábado e domingo em exercícios pode ser benéfico. Os chamados “guerreiros de fim de semana” apresentam menores riscos de morte por todas as causas – incluindo doenças cardiovasculares e câncer – quando comparados com adultos sedentários. Mas… não é qualquer voltinha no parque. A atividade física deve somar 150 minutos de exercícios moderados ou 75 minutos de intensos, ponderam autores. 

Para chegar a esse resultado, Gary O’Donovan, da Universidade de Loughborough, Inglaterra, e co-autores analisaram entrevistas de 63.591 adultos coletadas entre 1994 e 2012. Desse total, os pesquisadores observaram 8.802 mortes por todas as causas, além de 2.780 óbitos por doenças cardiovasculares  e 2.526 por câncer.

Ao comparar os padrões de atividade física entre os entrevistados, os cientistas viram que o risco de morte por todas as causas foi cerca de 30% menor entre os esportistas de fim de semana. Ainda, o risco de morte cardiovascular foi 40% mais baixo e o de câncer foi 18% menor.

Vale lembrar que os números são obtidos na comparação com adultos inativos, que não realizam qualquer atividade física. Algumas evidências sugerem que os riscos de morte são ainda menores entre os adultos regularmente ativos.

Aquele passeio descomprometido no final de semana pode ser melhor que nada, aponta estudo. Foto: Raphael Lima/PMRJ/Fotos Públicas

Aquele passeio descomprometido no fim de semana pode ser melhor que nada, aponta estudo. Foto: Raphael Lima/PMRJ/Fotos Públicas


Um dado curioso é que as reduções de risco foram semelhantes entre guerreiros de fim de semana e adultos insuficientemente ativos que realizaram menos do que a quantidade recomendada de atividade física semanal (150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividade vigorosa).

As limitações do estudo incluem que os resultados não podem ser generalizáveis ​​porque mais de 90% por cento dos participantes eram brancos. Além disso, a atividade física foi autorrelatada. O estudo também não pode estabelecer uma relação de causalidade, já que outros fatores não foram considerados. 

Apesar disso, contudo, o estudo aponta que os benefícios de atividades físicas feitas sem tanta regularidade podem ser melhor explorados. 

“Outros padrões de atividade física caracterizados por uma ou duas sessões por semana de atividade física de intensidade moderada ou vigorosa podem ser suficientes para reduzir os riscos de mortalidade por todas as causas”, concluem os autores. 


Leia o estudo: 
Gary O’Donovan, PhD1,2; I-Min Lee, ScD3; Mark Hamer, PhD4,5; et al. Association of “Weekend Warrior” and Other Leisure Time Physical Activity Patterns With Risks for All-Cause, Cardiovascular Disease, and Cancer Mortality. Disponível em: http://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2596007

 

Link curto: http://brasileiros.com.br/HyC2u
Tags: , , , , , , ,