Os livros do mês de dezembro que não podem faltar em sua prateleira

img_423

Sul

Verônica Stigger

Editora 34

91 páginas

Um conto, uma peça teatral curta e um poema formam um estranho quebra-cabeça em que todas as peças se encaixam. O novo livro de Veronica faz uso consciente e singular da linguagem, que, do trágico ao cômico, do melancólico ao escatológico, encontra sempre a forma
e o tom precisos.

TRECHO 

“Mas o cheiro do sangue não é como o cheiro do mijo. O sangue tem um cheiro adocicado. Um cheiro persistente. Um cheiro de morte. O mijo tem um cheiro ácido. Um cheiro passageiro. Um cheiro de rodoviária.”

A AUTORA

Uma das vozes mais fortes da literatura brasileira atual, Veronica Stigger nasceu em Porto Alegre e mora em São Paulo. É escritora, crítica de arte e professora universitária. Já publicou dez livros de ficção e recebeu os prêmios Machado de Assis (autor estreante) e Açorianos (narrativa longa).

img_394

O Museu do Silêncio

Yoko Ogawa

Tradução de Rita Kohl

Estação Liberdade

304 páginas

O Museu do Silêncio é uma obra de suspense excêntrica, com temas duros e polêmicos, que muitas vezes flertam com o grotesco. Como seria um museu que preservasse lembranças de pessoas que morreram? Essa é a essência da trama do primeiro livro de Yoko Ogawa traduzido para o português.

TRECHO 
“O que eu quero fazer é um museu mais grandioso do que vocês jovens podem imaginar. Um museu que não existe em lugar nenhum do mundo, mas que é absolutamente necessário. Uma vez começado, não se poderá mais abandoná-lo.”

A AUTORA

Yoko Ogawa é uma das escritoras japonesas contemporâneas mais saudadas no Ocidente. Desde 1988 já publicou mais de 20 livros e ganhou todos os prêmios literários japoneses importantes.

img_421
O genocídio do negro brasileiro

Abdias do Nascimento

Perspectiva

229 páginas

Em 1977, Abdias Nascimento apresentou um texto combativo demonstrando que a situação dos negros no Brasil era de uma condução ao “genocídio. Assim, a reedição deste texto em 2016 não é apenas uma homenagem histórica, mas a constatação de um fato: a situação continua inalterada.

TRECHO 

“Eu deixo vocês com um apelo: encontrem os caminhos e os meios de abrir os impulsos criativos que habilitem os negros individualmente, as nações negras, e as organizações de tais nações, a reconquistar o controle de seus destinos.”

O AUTOR

Uma das maiores vozes pelos direitos dos negros do Brasil, Abdias foi um dos pioneiros do moderno teatro brasileiro, fundou o Ipeafro e recebeu da Unesco o prêmio de Direitos Humanos e Cultura de Paz.

img_425
Céus e Terra

Franklin Carvalho

Record

206 páginas

Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura de 2016 na categoria romance, o livro conta a história de um menino que é decapitado por acidente. Nessa trama conduzida com leveza e agilidade, acompanhamos a trajetória do menino sem cabeça que vai se tornando um mito dentro de sua cidade.

TRECHO 

“Quando eu tinha doze anos, fui ajudar a tirar um homem da cruz. Encontrei-o morto e acabei morrendo também.”

O AUTOR

Franklin Carvalho é jornalista e tem pós- graduação em Direito e Processo de Trabalho. Natural de Araci, no sertão da Bahia, é também autor de dois livros de contos independentes. Atua como fotógrafo e na divulgação de movimentos culturais e sociais.

Ian McEwan - Enclausurado

Enclausurado 

Ian McEwan

Tradução Jorio Dauster 

Companhia das Letras

200 páginas 

Este livro é uma joia do humor e da narrativa fantástica.  Uma verdadeira amostra sintética e divertida do impressionante domínio narrativo de McEwan. Através de um narrador inusitado, um dos maiores ficcionistas da atualidade cria uma história de intriga e mistério.

TRECHO

“Então aqui estou, de cabeça para baixo, dentro de uma mulher. Braços cruzados pacientemente, esperando, esperando e me perguntando, dentro de quem estou, o que me aguarda.”

O AUTOR 

Inglês nascido em 1948, Ian McEwan é um dos maiores escritores de sua geração. Já escreveu mais de 20 livros,
que lhe renderam vários prêmios, entre eles o Booker Prize e o Whitbread Award.

img_393

São Francisco de Assis

G. K. Chesterton

Tradução de Luis Reyes Gil

*mundaréu

Ciente do espaço que São Francisco ocupa em nosso imaginário, na história e na religião, Chesterton cria um ensaio biográfico de notável perspicácia teológica e argumentativa, defendendo a capacidade que teria a religião no fortalecimento das respostas às grandes questões humanas. 

TRECHO 

“Em certo sentido, é sem dúvida uma triste ironia que São Francisco, depois de passar a vida pregando a concórdia entre todos os homens, tenha morrido em meio a crescentes desavenças.”

O AUTOR

Criador do Padre Brow, o inglês G. K. Chesterton foi também jornalista, historiador, teólogo, filósofo, desenhista e economista. É chamado de “príncipe do paradoxo”pelo brilhante conteúdo argumentativo de sua obra.

img_426

Conversações com Goethe nos últimos anos de sua vida 1823-1832

Johann Peter Eckermann

Tradução de Mario Luiz Frungillo

Editora Unesp 

718 páginas

Resultado das zelosas anotações diárias e observações de seu secretário particular Eckermann, Conversações definiu a imagem de Goethe para a posteridade. A imersão no cotidiano do grande poeta em seus últimos nove anos de vida possibilita conhecer melhor tanto o literato quanto a sua época.

TRECHO 

“Estou convencido de que estas conversações não apenas proporcionam algum esclarecimento e muitos ensinamentos para completar a imagem de Goethe que cada um terá formado a partir de sua multifacetada obra.”

O AUTOR 

O poeta e escritor alemão Johann Peter Eckermann era amigo e confidente de Goethe. Ficou mundialmente conhecido pela publicação de Conversações com Goethe nos Últimos Anos de Sua Vida.

af17d110-a60f-42cc-92ff-d25126b23b32
Paisagem de Outono

Leonardo Padura 

Tradução de Ivone Benedetti 

Boitempo

216 páginas

Nessa nova aventura do famoso detetive Conde, Padura explora inúmeros recursos do gênero policial ao longo de uma agitada investigação quando em uma noite de outono alguns pescadores descobrem um cadáver na praia do Chivo, em Havana. 

TRECHO 

“Por que deixamos um homem como esse voltar a Cuba? Pelo que o senhor está dizendo, era um dirigente bastante graduado que desertou quando voltava de uma missão oficial, não é? Sei de gente que por menos que isso não conseguiu voltar.”

O AUTOR 

O cubano Leonardo Padura é romancista, ensaísta, jornalista e autor de roteiros para cinema. Publicou mais de 20 livros, entre eles O Homem que Amava os Cachorros e Hereges (ambos também pela Boitempo).

Link curto: http://brasileiros.com.br/XduEH
Tags: , , , , , , ,