A cultura da autossuficiência tende a deixar indivíduos com dificuldade de expressar agradecimento – o que atrapalha relacionamentos e laços importantes para o bem-estar

Nem todo mundo apresenta gratidão em resposta à generosidade alheia – como se houvesse certo incômodo com a “obrigação” de retribuir o favor lá na frente. A raiz disso pode estar na intensa valorização da autonomia na nossa cultura. Aprendemos que não é bom depender das pessoas. Mas o curioso é que, ao contrário do esperado, a perseguição vertiginosa da autossuficiência pode nos levar à depressão pela perda de laços que provoca.

O mecanismo descrito acima foi descrito em estudo publicado na Cognition and Emotion. A pesquisa foi coordenada por Anthony Ahrens, professor de psicologia da American University, instituição de pesquisa em Washington, nos Estados Unidos. Com a ajuda de estudantes de pós-graduação, Ahrens testou a curiosa relação entre autonomia e gratidão.

A gratidão tem sido amplamente estudada na psicologia e cientistas estão encontrando evidências de seus muitos benefícios. Ela ajuda a construir relacionamentos e está associada ao bem-estar físico e mental.

A intensa valorização da dependência pode fazer com que as pessoas tenham dificuldades em expressar gratidão, sugere pesquisa da American University

A intensa valorização excessiva da independência pode fazer com que as pessoas tenham dificuldades em expressar gratidão, sugere pesquisa da American University


A pesquisa de Ahrens selecionou 500 participantes. Ao todo, três diferentes estudos foram feitos para entender o mecanismo da gratidão x independência:

Estudo 1 – Pesquisadores investigaram a relação de autonomia com a gratidão. Ainda, a resposta dos participantes em relação a um presente hipotético foi mensurada por meio de um questionário. Algumas respostas possíveis foram: “eu adoraria retornar o benefício”, “eu daria um retorno para equilibrar o gesto daquela pessoa”, “eu acredito que esta pessoa está tentando obter algum benefício pessoal” e “eu me sentiria bem com o presente”.

Estudo 2 – Os cientistas foram um passo adiante: examinaram como os participantes valorizam a emoção como uma gratidão.

Estudo 3 – A pesquisa replicou e ampliou os achados dos estudos 1 e 2. Mais questionários foram usados e também participantes que não eram estudantes foram recrutados.

Ao longo dos estudos, indivíduos com maior autonomia experimentaram menos gratidão, e também valorizaram menos a gratidão como um princípio a ser cultivado.

“Não há nada de errado com a autossuficiência e valorização da autonomia. A preocupação é em que medida isso poderia interferir com os processos que unem as pessoas?” disse Ahrens, em nota sobre o estudo.

Para o pesquisador, a falta de gratidão motivada pela busca da autonomia pode afetar muito a qualidade dos relacionamentos e levar indivíduos à depressão.

“Uma pessoa que é mais autônoma pode interpretar mal um gesto bem-intencionado do seu parceiro e uma ação compassiva pode ser vista como intrusiva, em vez de como apoio”, disse Ahrens. “Outras pesquisas mostraram que a autonomia pode levar a uma aversão a qualquer forma de dependência dos outros, tornando os indivíduos vulneráveis ​​à depressão”.

Grupo vai analisar aspectos culturais

Ahrens teoriza que as pessoas que valorizam a independência a um alto grau não gostam de gratidão e pensam que isso poderia torná-las fracas. O próximo passo da pesquisa será explorar certas mensagens culturais relacionadas à autonomia.

“A cultura americana contemporânea enfatiza a autonomia”, disse Ahrens. “É possível que as mensagens culturais levem as pessoas a valorizarem a autonomia e menos a gratidão. Vamos examinar como a autonomia e a gratidão interagem nas relações e esperamos que os resultados dêem uma ideia de como melhor cultivar as experiências positivas de conexão compartilhada, independência saudável e aumento do bem-estar emocional.”

Link curto: http://brasileiros.com.br/0HPUw
Tags: , , , , , ,