Fenômeno acontece nesta segunda-feira, dia 14. A praticidade de Touro e a ênfase em Escorpião, Plutão e Quíron poderão ajudar as pessoas a terem mais jogo de cintura para enfrentar os desafios

1907404_10204325721841213_1913172065732491879_n

Hoje, 14 de novembro, será possível observar a maior superlua do século até o momento! O fenômeno ocorre porque a Lua gira ao redor do nosso planeta em uma órbita elíptica e, se a Lua cheia coincide com o ponto do trajeto que está mais próximo da Terra, melhora a visão que se têm do satélite natural – ela parece 14% maior e 30% mais brilhante. 

A Lua não chegava tão perto assim desde 1948 e não voltará a fazê-lo até 25 de novembro de 2034. Com exceção do eclipse da superlua de 2015, não houve nem haverá por muito tempo uma Lua cheia tão especial. Este ano registra três superluas consecutivas. A primeira ocorreu em 16 de outubro e a última será em 14 de dezembro.

A melhor maneira de ver a superlua é ir para um local aberto e tranquilo, longe das grandes cidades e da iluminação artificial. Como em qualquer outra Lua cheia, o corpo celeste parece maior e mais brilhante quando aparece no horizonte, e não quando está alta, no céu.

O termo superlua foi introduzido pelo astrólogo Richard Nolle, em 1979, que, em sua definição, incluiu tanto a Lua na fase cheia, quanto na fase nova. Porém, o interesse popular pela superlua só acontece em sua fase cheia, quando o satélite natural parece maior e mais belo no céu.

A Lua alcançará seu perigeu (o ponto mais alto) cerca de duas horas e meia antes de entrar na fase cheia e, no horário de verão de Brasília, esses eventos ocorrerão entre 9h23min e 11h53min, respectivamente. Nesses horários, ela não será observada no Brasil, mas para o nosso País o efeito será mais visível na madrugada do dia 14, quando estiver se pondo do lado oeste. Esse será o horário de observação mais próximo à ocorrência do evento, porém, no começo da noite de 14 de novembro ela ainda estará ali deslumbrante e maravilhosa. No Brasil, esta época é de chuva e mau tempo, por isso é aconselhável já começar a observar a Lua no dia 13 de novembro, quando ela estiver se aproximando do perigeu e da fase cheia.

Astrologicamente, esta Lua cheia está em Touro (22 ° 38 ‘), opondo-se ao Sol em Escorpião, trígono Plutão (planeta governante de Escorpião) e sextil a Quíron, retrógrado, em Peixes. Considerando que é uma superlua, muito próxima da Terra, é seguro dizer que esta Lua Cheia poderá curar as nossas emoções mal elaboradas, que necessitam de renovação.

O Touro é terra, simples e direto. Escorpião é o signo das águas agitadas e profundas. Essa combinação mexe com nossas necessidades, desejos, segurança e paixão. O aberto e simples versus o secreto e complexo.  O apoio de Quíron e Plutão, que fazem aspectos harmônicos a esta superlua, a tornam um bálsamo capaz de curar muitas de nossas feridas psíquicas. A praticidade de Touro e a ênfase em Escorpião, Plutão e Quíron poderão nos ajudar a ter mais jogo de cintura para enfrentar os desafios, flutuações e ciclos de nossas vidas. Observe em que casa de seu mapa astral cai essa superlua, pois será nesse setor de sua vida onde os efeitos serão sentidos mais fortemente.

 Um excelente momento para aprender e aplicar as sábias palavras de São Francisco de Assis:

Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado…
Resignação para aceitar o que não pode ser mudado…
E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.

 

Link curto: http://brasileiros.com.br/58N8e
Tags: ,