Nesta edição, FLUPP homenageia o gaúcho Caio Fernando Abreu. Com destaque à temática feminista e seus recortes, o evento recebe Conceição Evaristo, Jo Clifford e Heloisa Buarque de Hollanda

O organizador da FLUPP, Julio Ludemir - à esquerda - conversa com Heloísa Buarque de Hollanda e Candé Salles na mesa Caio F. Abreu e as perfiferias existenciais. Foto: Eduardo Magalhães/Facebook

O organizador da FLUPP, Julio Ludemir – à esquerda – conversa com Heloísa Buarque de Hollanda e Candé Salles na mesa Caio F. Abreu e as periferias existenciais. Foto: Eduardo Magalhães/Facebook

 

Teve início na última terça-feira (08), a 5ª edição da Festa Literária Internacional das Periferias (FLUPP), na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro. O evento, idealizado por Julio Ludemir e Ecio Salles, foi premiado no International Excellence Awards da London Book Fair 2016, na categoria “Festival Literário”. As programações paralelas do projeto acontecem desde abril, com a FLUPP Pensa. Em setembro, foi a vez da FLUPP Parque começar, levando várias atividades à periferia carioca, que continuam após a abertura oficial. Os paineis principais estão sendo transmitidos via Facebook e site do evento, que se estende até o próximo domingo (13).

A primeira mesa foi um mergulho na história e obra do homenageado, Caio Fernando Abreu, e teve participações da professora e escritora Heloísa Buarque de Hollanda e do cineasta Candé Salles, diretor do documentário Para Sempre Teu, Caio F., lançado em 2014. Além disso, o grupo Nós Do Morro realizou uma batalha de poesia no palco principal em comemoração a seus 30 anos.

O jornalista Leonardo Lichote iniciou o segundo dia mediando bate-papo sobre o centenário do samba, com Haroldo Costa e Luiz Antônio Simas. Também ocorreram mesas com os temas Lugares de Fala e A Negação Do Cinema, ambas falando sobre protagonismo em assuntos específicos. A primeira, comandada por Silvana Bahia, com Athayde Motta, Jean-Yves Loude; a segunda, com  Joel Zito Araújo e Jeferson De conversando com Cadu Barcellos.

Ainda no dia 9, Eduardo Suplicy compareceu ao evento para participar da mesa Nós, Passarinhos, com mediação de Rebeca Brandão, sobre o papel da oposição de esquerda diante do cenário político brasileiro. Marcelo Freixo, que conversaria com Suplicy, não pôde comparecer por causa dos protestos na 
Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Antes de seu painel, o vereador eleito de São Paulo passou pelo palco do concurso Rio Poetry Slam e cantou Blowin’ In The Wind, de Bob Dylanprometendo voltar no encerramentoO concurso continua com as eliminatórios para a semifinal. Destaque na FLIP deste ano, Mel Duarte garantiu sua vaga na quarta-feira. 

Temáticas voltadas ao feminismo chamam atenção em várias mesas do evento. A jornalista Jéssica Balbino apresenta seu filme Pelas Margens, às 20h desta quinta-feira (10), mostrando a situação de mulheres que produzem literatura marginal nos últimos 15 anos e o machismo no mercado editorial. Deslocamentos Literários é o painel que reunirá, no dia 11, três mulheres (Akwaeke Emezi, Bianca Santana e Lia Minapoty) de grupos sociais e culturais (indígenas e africanos) diferentes que usam a literatura como forma de resistência a suas histórias em comum sobre genocídios. Começando o último dia, Militância Se Escreve Com M, de Mulher receberá Kátia Lund e Jessica Care Moore em bate-papo com Ana Paula Lisboa, sobre a luta das mulheres por seus direitos e sobres suas produções (filmes e poemas) relacionadas ao feminismo. A somali Nadifa Mohamed e a brasileira Ana Maria Gonçalves debatem, com Cida Salgueiro, a presença e os desafios da mulher negra na literatura no domingo, às 13h. Conceição Evaristo, mulher negra referência na literatura brasileira contemporânea, também participa da FLUPP, em Quilombos de Papel, no mesmo dia. A cantora Ellen Oléria, engajada no mesmo movimento, estará em uma mesa no dia 11.

No dia 12, a comunidade trans será representada no evento. No sábado, Marcelo Caetano, Amara Moira, MC Linn estarão em Dando Uma Pinta Na Produção, falando sobre seus processos culturais e a representatividade de gênero nesses espaços. A peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu traz Jesus de volta no corpo de uma mulher transexual. A autora Jo Clifford será a protagonista e conversará sobre a obra após a apresentação. Também no sábado, representando as mulheres lésbicas negras, Jéssica Ipólito e Pamela Lightsey falam com Yasmin Thayná sobre as várias formas de ver e viver o amor.

As atividades são realizadas em três locais diferentes, que levam nomes de livros do homenageado: Tenda Morangos Mofados, Tenda Pequenas Epifanias e Empório Dulce Veiga.

Para conferir os locais e a programação completa, acesse o site.
    
Confira abaixo como foi a FLUPP até agora:
     

CONTEÚDO!Brasileiros
       
Leia a entrevista com a dramaturga Jo Clifford publicada na primeira edição da CULTURA!Brasileiros.

Link curto: http://brasileiros.com.br/mTOWK
Tags: , , , , ,