Torcedores são reprimidos por agentes da Força Nacional após se manifestarem contra presidente interino

Foto: Reprodução/Mídia Ninja

Foto: Reprodução/Mídia Ninja

A Olimpíada mal começou e as cenas de censura dentro das instalações esportivas já causam indignação Brasil afora. Maior do que a impopularidade do presidente interino Michel Temer apenas o esforço do peemedebista em escondê-la. Ainda mais diante da transmissão global dos Jogos Olímpicos. A presidenta afastada, Dilma Rousseff, por outro lado, encarou uma multidão de torcedores, na abertura da Copa do Mundo de 2014, na Arena Corinthians, em São Paulo, gritando em coro: “Ei, Dilma, vai tomar no cu” – sem nenhum reforço policial para contê-la.

No primeiro dia de competições olímpicas, os protestos já começaram. Seis agentes da Força Nacional cercam um homem, diante de seus filhos pequenos, e o carregam para fora da arquibancada do Sambódromo. A acusação: ter gritado “Fora, Temer” durante as finais do tiro com arco. Um outro torcedor filma a cena do enquadro e diz que foi ele quem gritou as palavras de protesto, e não o homem sendo levado. Mas de nada adianta para conter a truculência.

Em Belo Horizonte, no Mineirão, uma fileira inteira de pessoas vestem camisas que formam a frase “Fora, Temer”. Funcionários da Olimpíada vão até eles e dizem que não podem permanecer no local com aqueles trajes – teriam que vestir a roupa ao contrário. O grupo então puxa o coro ‘Fora, Temer”, para depois ser acompanhado por toda a arquibancada.

Pela primeira vez no evento histórico, o presidente do país sede não foi anunciado na cerimônia de abertura. Para evitar as vaias previstas pelas forças de segurança, Temer pediu à organização que não anunciasse seu nome. Nem assim o peemedebista escapou das vaias ao anunciar a abertura dos jogos no final da cerimônia.

Link curto: http://brasileiros.com.br/xNwc5
Tags: , ,