Yoko Ono, Cinthia Marcelle, Giselle Beiguelman, Raul Mourão, dentre outros destaques

“Entwurf zu Leicht Zusammen” de Wassily Kandinsky. Foto: Arquivo Helga de Alvear

“Entwurf zu Leicht Zusammen” de Wassily Kandinsky. Foto: Arquivo Helga de Alvear

Fora da ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear, Pinacoteca do Estado de São Paulo, de 25/06 a 26/09

A Pinacoteca do Estado de São Paulo expõe 137 obras da coleção da galerista alemã Helga de Alvear. São pinturas, esculturas, vídeos, instalações, desenhos e gravuras realizadas a partir da década de 1930, com ênfase na produção de meados da década de 1960 até os dias de hoje. A maioria dos trabalhos é inédita no Brasil, incluindo nomes influentes da arte moderna, como Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp e Josef Albers, além de representantes das principais vertentes do pós-guerra norte-americano e da produção contemporânea.

"War is over" (1969), John Lennon e Yoko Ono. Crédito: Yoko Ono

“War is over” (1969), John Lennon e Yoko Ono. Crédito: Yoko Ono

Yoko Ono Dream Come True, individual da artista no MALBA, Buenos Aires, de 24/6 a 31/10

Yoko Ono ganha sua primeira retrospectiva na Argentina, organizada no MALBA em Buenos Aires. A exposição é composta por cerca de 80 trabalhos, dentre objetos, filmes, vídeos e instalações produzidas entre a década de 60 e o presente. Em sua produção, o público tem um papel primordial, sendo convidado a interagir com as obras e colaborar no processo de criação. O destaque da mostra é Instructions Pieces, trabalho que a artista desenvolve há mais de 50 anos e que consiste em mensagens que convidam o público a realizar determinadas ações.

Lodz, Polônia - parte de Disturbingly Familiar (2016), fotografia de Giselle Beiguelman

Lodz, Polônia – parte de Disturbingly Familiar (2016), fotografia de Giselle Beiguelman

Trilogia, individual de Cinthia Marcelle | Quanto pesa uma nuvem?, individual de Giselle Beiguelman | Galpão VB, São Paulo, de 25/6 a 20/8

O Galpão VB apresenta duas exposições, inéditas no país, de Cinthia Marcelle e Giselle Beiguelman. A primeira, com curadoria de Solange Farkas, expõe Trilogia, videoinstalação composta pelos vídeos Fonte 193 (2007), 475 Volver (2009) e Cruzada (2010). O trabalho foi exibido antes apenas na mostra paralela da 54ª Bienal de Veneza. Já Quanto pesa uma nuvem? apresenta uma instalação multimídia composta por vídeo, áudio, carimbos e fotografia. Com família judia de origem polonesa, Giselle Beiguelman transforma-se neste projeto em um viajante de memórias, que se interroga, investigando paisagens e o seu próprio passado,

"Dormant (Protula)", Janaina Tschape. Foto: Cortesia Galeria Fortes Villaça

“Dormant (Protula)”, Janaina Tschape. Foto: Cortesia Galeria Fortes Villaça

Pássaro que me engoliu, individual de Janaina Tschäpe. Galeria e Galpão Fortes Villaça, São Paulo, de 25/6 a 13/8

A artista Janaina Tschäpe, baseada em Nova Iorque há 18 anos, apresenta um novo corpo de trabalho que compreende pinturas, fotografias e obras sobre papel, todas inéditas aqui. Nessas obras em exposição, Janaina imprime características marcantes e periódicas de sua pesquisa, como a gestualidade intensa no processo da pintura e a composição escultórica das formas que habitam suas fotografias.  A mostra ocupa simultaneamente os espaços da Galeria e do Galpão.

 

16169302

Você está aqui, individual de Raul Mourão | Em Estado de Suspensão, individual de Albano Afonso | Fase 3, intervenção sonora de Chiara Banfi e Kassin | Museu Brasileiro da Escultura, São Paulo, até 31/07

As mostras, que ocuparão os principais espaços do Museu,  são parte do projeto de revitalização do MuBE que contempla, entre outras ações, uma nova linha curatorial
. A mostra de Albano Afonso é composta por móbiles suspensos que flutuam como miragens. Já Você está aqui, de Raul Mourão, apresenta estruturas modulares que dialogam com a arquitetura do museu. Por fim, a intervenção sonora Fase 3, de Chiara Banfi e Kassin, localizada na área externa do MuBe, reproduz sons do espaço captados pela NASA, Agência Espacial Americana, disponibilizados na internet

"Vermelho e preto" (1968), Ibere Camargo. Crédito: Ares Soares

“Vermelho e preto” (1968), Ibere Camargo. Crédito: Ares Soares

Arte Moderna na Coleção da Fundação Edson Queiroz, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, até 16/10

A mostra apresenta 76 obras da coleção da Fundação Edson Queiroz, criadas por artistas brasileiros entre as décadas de 1920 e 60. Com curadoria da  historiadora de arte Regina Teixeira de Barros, o percurso da exposição inicia com Duas Amigas, pintura referencial da fase expressionista de Lasar Segall e percorre os chamados anos heroicos do modernismo brasileiro, trazendo obras de Anita Malfatti, Antônio Gomide, Cícero Dias, Di Cavalcanti, Ismael Nery, Vicente do Rego Monteiro e Victor Brecheret.

"Teatro del mondo a venezia". Fotografia de Aldo Rossi

“Teatro del mondo a venezia”. Fotografia de Aldo Rossi

Arte em Cena: Obras da Coleção MAXXI – Museu de Arte do Século XXI, Museu de Arte Moderna do Rio, até 11/09

A  exposição apresenta cerca de 30 obras do museu italiano MAXXI, inaugurado em 2010, com projeto arquitetônico de Zaha Hadid (1950-2016). Com curadoria de Anna Mattirolo, a exposição mostra a abrangência e diversidade do acervo italiano, que vai da arte povera ao uso de tecnologia. A mostra reúne fotografias, desenhos, pinturas, gravuras, instalações e vídeos, além de maquetes e projetos arquitetônicos de artistas como William Kentridge e Mario Airo.

Sem título, Alfredo Volpi. Crédito: Sergio Guerini

Sem título, Alfredo Volpi. Crédito: Sergio Guerini

Volpi – pequenos formatos, Museu de Arte Moderna, São Paulo, até 18 de dezembro

O Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta a mostra Volpi-pequenos formatos que reúne 74 obras do pintor Alfredo Volpi, entre telas, desenhos sobre papel e azulejos feitos em menores dimensões que serviam como estudo para as telas maiores. As obras são expostas com orientação cronológica, desde os trabalhos dos anos 40 que se caracterizam pelas paisagens urbanas e marinhas das cidades de Mogi das Cruzes e Itanhaém até as obras das décadas de 60 e 70, identificadas pela abstração geométrica.

Link curto: http://brasileiros.com.br/JwkXF
Tags: , , , ,