Das 178 escolas públicas de excelência no Brasil, 21 estão em Sobral, no Ceará. As duas piores escolas da rede municipal ficaram com nota 15% maior do que a meta brasileira para 2021

Escola Municipal Gerardo Rodrigues, Sobral (CE) - Foto: Agência Brasil/EBC

Escola Municipal Gerardo Rodrigues, Sobral (CE) – Foto: Gabriela Portilho

Em Sobral, a 240 km de Fortaleza, as nuvens carregadas passam, mas não param. Castigada pelas secas, baixas colheitas e poucas oportunidades de trabalho, metade da população vive com menos de R$ 310 mensais. Ainda assim, virou referência em ensino. Das 178 escolas públicas de excelência no Brasil, 21 estão lá. As duas piores escolas da rede municipal ficaram com nota 15% maior do que a meta brasileira para 2021.

Mas o cenário nem sempre foi assim. A atual diretora do colégio Gerardo Rodrigues, Maria do Socorro Aguiar, conta que no início de sua carreira, há cerca de 30 anos, boa parte dos professores do município ainda assinava com a impressão digital, por não saber ler ou escrever. Eram os chamados professores leigos, que ministravam aulas nas escolas ou nos quintais das casas.

Hoje, nenhum professor da cidade pode dar aulas sem ter uma graduação no mínimo. Muitos deles, aliás, já têm cursos de especialização e mestrado. A mudança começou em 2001, quando uma avaliação estadual mostrou que 48% das crianças entre 9 e 10 anos de Sobral não sabia ler nem escrever, e, ainda assim, avançava nas séries, criando uma bola de neve de deficiência na aprendizagem. “Percebemos que dentro das escolas estávamos produzindo analfabetos”, conta o secretário municipal Julio César da Costa Alexandre.

Para isso, o Estado articulou uma grande reforma na política educacional focada na produção de materiais didáticos, formação de professores, e planejamento pedagógico. “A ideia é deixar o professor tranquilo e preparado enquanto estiver na sala de aula, sabendo quem são seus alunos, qual o nível da sua turma e o que precisa fazer para avançar. Assim, ele consegue aproveitar de fato as 3 horas e 20 minutos em que estiver dentro da sala”, explica Julio.

O investimento municipal em educação tem sido recompensado e hoje o índice de leitores alfabetizados na idade certa chega a 97% dos alunos. Dentre eles, todos conseguem ler textos com ritmo, entonação e, principalmente, compreensão das informações.

Para Julio, um dos segredos é ensinar português e matemática com excelência. “É claro que um currículo diversificado é muito interessante, mas se o aluno não souber ler e compreender o que está lendo, ele não vai tirar proveito das outras disciplinas e nem continuar avançando”, afirma. Para garantir assiduidade, um funcionário da escola Gerardo Rodrigues vai de moto buscar alunos em casa após três faltas seguidas:

“Analisamos os resultados de provas e quem vai mal tem reforço. O acompanhamento é diário e nenhum aluno fica para trás”, explica Maria do Socorro. Segundo o Secretário, é preciso entender a realidade do aluno que chega na escola pública hoje e pensar em políticas específicas para ele, sem necessariamente seguir a próxima moda da Educação. “O que o aluno do sertão precisa hoje é muito diferente do que o aluno da Finlândia precisa. O aluno que chega na escola pública de Sobral vem de uma formação cultural muito frágil. Precisamos, antes de tudo, cuidar do básico para que ele consiga avançar”, complementa.

*Título e olho da redação em reportagem de Gabriela Portilho para a revista Super Interessante.

Link curto: http://brasileiros.com.br/oMPwE
Tags: , , ,
  • http://Magia Mágia Miranda

    So um burro nao entende uma reportagem dessa,se quiser vem p Sobral p aprender a ler e compreender o q leu,e ai nao esta falando de Sao Paulo nao,la so tem mta é chacina,Sobral uma pequena cidade no sertao c dizem,ms q tem o maior e melhor ensino de qualidade do Brasil.Parabens minha querida Sobral,aos professores,diretores e nosso secretario Juli Cesar,q esta spre no apoio c tds.

  • cleides da silva barbosa

    Se todos fossem iguais a vocês. Sem maiores comentários a publicação já diz . Parabéns. Que nossos secretários de educação de todos os municípios leiam e sigam o exemplo.

  • Lidiane

    Lógico, qualquer lugar que parar de seguir esse sistema ridículo e falido da progressão continuada, vai alcançar excelentes resultados, esse sistema só visa deixar nossos alunos mais analfabetos e incompetentes para se desenvolver e para votar sem conscientização, precisamos melhorar nosso país.Parabéns, para a cidade de Sobral que pensa realmente na educação, merecem todo meu respeito é exemplo para todos.

    • Neide Vitoria

      Concordo plenamente com você, Lidiane.Sou professora e vejo assim também essa lástima na educação.

  • Júnia

    Essas pessoas têm o essencial,comprometimento,amor pelo que faz,e realmente acreditam no novo,não pararam no tempo com discursos hipócritas de educação de balela,eles poe

  • Afonso Galvao

    Português e matemática devem mesmo ser prioridades. São disciplinas instrumentais para outras aprendizagens, bem como inglês e informática. As outras podem ser transversais e aprendidas em blocos por meio de projetos. Parabéns Sobral.!

  • Willian dos Anjos Silva

    Parabéns, Sobral!
    Alguém de Sobral precisa vir ensinar os analfabetos que cuidam da educação nos grandes centros.

  • Djercks

    Eu também li a matéria, e não entendi muito o diferencial,

    (vi nos comentários uns defendendo a escola, creio ser pessoas ligadas aos interessados pela promoção da matéria, responder de forma mau educada os questionamentos dos outros, creio que vai fazer o mesmo com esse meu comentário aqui, mas o azar é dele.

    O que entendi é que

    * vão buscar o aluno em casa (os que pretende desistir)

    * e dão um reforço em matemática e português.

    só isso, óbvio que é bom isso, porém digo só isso pelo título da matéria, parece algo que só essa escola faz… coisa que não é verdade, o reforço todas que eu conheço são, a questão de ir atrás do aluno os colégios q estudei aqui em fortaleza fazia isso também…

    Ou seja, ela prática algo comum nos colégios

    a não ser que esteja falando entre as do interior, aí eu não conheço…

    • Rosana

      * vão buscar o aluno em casa (os que pretende desistir)

      * e dão um reforço em matemática e português.

      Ensino numa escola publica de São Paulo capital perto de interlagos e isso não é pratica comum na escola, aliás passar um aluno analfabeto é mais fácil do que ficar correndo atrás dele.

  • Márcia Assis Carvalho

    Vc já esteve em uma escola onde os alunos estudam várias matérias, já estão no terceiro ano ou quarto e não sabem ler muito menos interpretar um texto?

  • Ênio

    Algumas propostas como as apresentadas já são feitas em várias escolas pelo país, o diferencial neste caso foi o foco em português e matemática e o treinamento para as avaliações nacionais, daí a melhora da nota e consequente rótulo que a educação está dando certo, mas precisamos avaliar melhor os dados, as pressões sobre estudantes e professores etc. Educação não é só tirar boas notas em português e matemática, é algo bem mais amplo. No entanto, não devemos desmerecer o trabalho realizado pela cidade, precisamos adequá-lo ao real papel da educação que é bem mais amplo e diversificado do que tirar uma nota razoável numa avaliação institucional.

  • Jose

    A questão é saber se foi realmente acabar com a progressão continuada que gerou a mudança. A mim, me parece muito mais resultado das demais políticas públicas. Senão, daqui vão defender o fim da aprovação automática como se fosse a solução.

  • http://Facebook Rogério Britto

    Aos “leitores” que não entenderam a matéria, aconselho que priorizem o português e matemática.
    Em especial interpretação de texto.

  • Sérgio C. F. Tavares

    Cada comentário que tenho até vergonha!
    Fala sério, pessoal cri cri.
    Estão precisando ir pra sobral estudar.
    Dificuldade de interpretação.

    • Márcia

      Esse povo achacador não entende que contra FATOS não existem ARGUMENTOS.
      Sobral ao longo dos últimos anos deu um grande avanço na educação do município.

  • Rogério Britto

    Fica claro a dificuldade que as pessoas têm para entender um texto tão simples!
    Que Deus tenha piedade do povo brasileiro e ponha pessoas como essas do Ceará na vida delas…
    Parabéns aos homens de voa vontade política e social.

  • Ana Lourenço da Rosa

    Nem preciso comentar… isso é o fazer no saber… para conhecer a aplicabilidade emergente.. nada fica no abstrato e nas repetições de coisas sem causas imediatas… Por essas divulgações tão brilhantes que ainda insisto na caminhada da Etnopedagogia com muito empenho, hoje nos meus 71 anos… comecei na minha carreira de docente no ano de 1961, com 17 anos… numa escola rural… lá aprendi a lecionar na inter(trans)pluralidades das coisas que são corretas e necessárias no educação formar e, também na informar… Parabéns ao Senhor Secretário e todo o povo de Sobral… ONG/OSEC (Organização Socioambiental Educativa Comunitária, Porto Nacional no Tocantins, no BR

  • tmnm

    Provavelmente você nao estudou nessa escola. É obvio que os alunos aprendem outras coisas, eles reforçaram que o primordial é dominar português e matemática para que se possa ter avanço nas outras matérias. E como assim você não entendeu as mudanças na escola? Eles acompanham o aluno individualmente no que tange à sua frequência escolar (a cada 3 faltas seguidas um funcionário da instituição vai ate a casa do aluno buscá-lo), aprendizado escolar (note que eles citaram que os alunos com maior dificuldade participam de reforço escolar), além de melhorarem a formação dos professores (leia de novo o texto e veja que eles afirmam que ha 30 anos atrás até os professores eram analfabetos, assinavam com digital), inclusive atualmente grande parte deles possuem mestrado! Eu posso te dizer, como universitária, que isso é MUITO importante, o professor fica mais seguro na sua matéria ate porque os alunos perguntam durante a aula e perguntam coisas que fogem do assunto dado e sem um professor com capacidade de fazer a ponte entre a teoria de sala e coisa do cotidiano os alunos saem insatisfeitos e os professores desmotivados e sentindo-se incapaz. Agora, te pergunto, como você nao viu ainda a grande reforma que o municipio fez nas escolas?

  • Adriana

    Foi o que eu entendi, nada!

    • marcio

      Vá para a escola citada que vc aprende.
      No mais, excelente texto.

  • anemarli1@hotmai.com

    Fiquei perplexa , como uma pessoa pode ensinar sem antes saber, foge muito do correto, mesmo sabendo que é real e acontece aqui em nosso país. Se tivéssemos uma educação mais séria e de qualidade isso não acontecia. Será com certeza através de uma educação de qualidade e igual para todos que podemos mudar uma nação.

  • Allan

    Amigo, releia o texto que você perceberá o que fizeram.
    Do contrário, procure a escola citada na matéria, você precisa de aulas de reforço.

  • José Paulo Freire

    Ao ler a matéria, fiquei com mais dúvidas do que certezas: quais foram as mudanças de fato implementadas pelo Estado? O que mudou na rotina das ala de aula? Quais eram os índices antes e os índices depois? Além de português e matemática, os alunos aprendem outras coisas? aprendem algo além das matérias tradicionais? ou estão sendo formados para serem bons atendentes de balcão? Sinceramente, ou a matéria é falha ou tudo o que p Ceará fez é mera perfumaria pra inglês ver. É o que parece.

    • Paulo

      Tenho a impressão de que você está falando do estado de SP.

    • Margilla

      Quem não entendeu.
      Há vc ñ entendeu?
      Leia de novo.