Reunindo mais de 500 documentos, objetos e fotos, a mostra Stanley Kubrick explicita a dimensão magistral da obra do cineasta americano

Reprodução.

Organizada pelo Deutsches Filmmuseum e apresentada, em 2004, ao público de Frankfurt, na Alemanha, onde o museu é sediado, a mostra Stanley Kubrick fez itinerância em nove metrópoles, entre elas Berlim, Roma, Paris, Amsterdã e Los Angeles. A exposição chega agora a São Paulo com apoio do Museu da Imagem e do Som (MIS) e da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Resultado de uma parceria entre o museu alemão e o The Stanley Kubrick Archives, que detém na Universidade de Artes de Londres amplo acervo sobre a carreira do cineasta, Stanley Kubrick arrebatou visitantes por onde passou. E não é para menos. A exposição reúne, entre documentos, fotos, objetos e elementos cenográficos, mais de 500 itens. Uma verdadeira imersão no universo particularíssimo desse que foi, ao lado de Scorsese, Coppola e De Palma, um dos mais inventivos cineastas americanos do pós-guerra.

Curador original da mostra, o alemão Hans-Peter Reichmann organizou a exposição com a colaboração de Christine Kubrick, viúva do cineasta, e, lógico, dos estúdios Metro Goldwyn Mayer, Warner Bros., Universal e Sony-Columbia Pictures, que foram generosos em ceder centenas de objetos cenográficos, fotografias e excedentes de registros de áudio e vídeo das filmagens de clássicos, como Dr. Fantástico, Spartacus, 2001: Uma Odisseia no Espaço, Laranja Mecânica e O Iluminado.

Na edição brasileira da mostra, o projeto expográfico ficou a cargo de André Sturm, diretor executivo do MIS. O museu acolhe também uma retrospectiva, com os 13 filmes do cineasta, que integrará a programação paralela da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (confira a programação completa em mostra.org).

No dia 15 deste mês, o documentarista Jan Harlan realizará aula magna sobre produção e roteiro cinematográfico. Em 2001, ele dirigiu o filme Q&A Stanley Kubrick: a Life in Pictures, que será exibido no MIS, no dia seguinte(16), logo após a projeção de A.I. – Inteligência Artificial, penúltimo projeto de Kubrick, engavetado por problemas de saúde, mas que acabou sendo dirigido, em 2001, pelo amigo Steven Spielberg. Três meses após a morte do cineasta, que teve uma parada cardíaca enquanto dormia, o drama erótico De Olhos Bem Fechados, seu último filme, adaptação de Breve Romance de Sonho, do austríaco Arthur Schnitzler, entrou em cartaz.

Serviço
MIS – Avenida Europa, 158 – Jardim Europa
R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)
Ingressos para a mesma data da visitação à venda a partir de 11/10 

Link curto: http://brasileiros.com.br/YUoJQ
Tags: ,